Ascensão da Inter de Milão e declínio da Juventus no Campeonato Italiano são refletidas nas casas de apostas esportivas

Desde a temporada 2011-12, a Juventus tem reinado suprema na liga italiana. São nove títulos ganhos pela “Velha Senhora” desde então, levando o time à marca de 36 títulos conquistados no torneio.

No entanto, parece que este domínio está bem próximo do seu fim. De acordo com a Betfair e seus palpites diários de futebol de hoje, as chances da Juve de levantar o troféu de campeã italiana pela décima vez seguida são de 6,7%. Em sua frente, encontra-se uma velha rival, a Inter de Milão, com chances de 95,2%.

Tais chances refletem não só a queda de rendimento da Juventus na temporada atual como também a ascensão da Inter desde sua “mudança de sorte” a partir de 2019. Com poucos jogos da Série A no horizonte, é bem capaz de vermos o “destronamento” da Juventus após quase uma década de domínio sobre o futebol italiano, para o deleite dos fãs da Inter e de outros rivais da Juve.

Um processo construído a passos largos

O trabalho de reconstrução da Inter começou a partir da compra do time pela holding chinesa Suning em junho de 2016, com a empresa adquirindo quase 70% das ações do clube. A venda foi executada ao lado de promessas de altos investimentos no futebol, visando a recuperação do time que não ganha a Série A desde 2010, em um ano que ganharam também a Liga dos Campeões e a Copa da Itália.

 

Foram quase 700 milhões de euros gastos desde então em várias contratações, com destaque para o atacante belga Romelu Lukaku, que chegou do time inglês Manchester United por 74 milhões de euros em agosto de 2019. Junto de Lukaku, a Inter fez outra grande aquisição ao trazer o ex-técnico da Juventus, Antonio Conte, que foi o grande responsável por conduzir a rival de Turin de volta ao domínio italiano entre 2011 e 2014.

A parceria tem dado muito certo até aqui, com Lukaku marcando 42 gols e dando 9 assistências em 62 partidas desde sua chegada ao Giuseppe Meazza, em Milão. Nesta temporada, os gols e assistências de Lukaku – junto com as contribuições do atacante argentino Lautaro Martínez – e o excelente trabalho defensivo de jogadores como os zagueiros Andrea Ranocchia e Milan Skriniar fazem da Inter a líder da tabela da Série A na frente do rival AC Milan e da já mencionada Juventus, que ocupavam no dia 31 de março o segundo e quarto lugares do campeonato respectivamente.

Um sobe, o outro desce

É importante destacar também o declínio da Juventus, que parecia estar longe de acontecer até a crise que levou à demissão do técnico Massimiliano Allegri do time em 2019. Enquanto a Juventus ainda conseguiu levantar a Série A, com 90 pontos conquistados em 38 jogos na temporada 2018-19, as performances do time já não eram tão boas quanto de costume, apesar da presença do astro Cristiano Ronaldo desde o começo da jornada.


No lugar de Allegri entrou o ex-técnico do Napoli, Mauricio Sarri, com a missão de extrair o máximo do astro português. Mas, enquanto Sarri foi bem-sucedido em sua missão, com CR7 marcando 31 gols e dando 5 assistências sob sua tutela, a margem de vitória da Juventus foi de apenas um ponto sobre a Inter já comandada por Conte.

Entra o lendário ex-meio-campista Andrea Pirlo no lugar de Sarri no ano passado, com a mesma missão de usar o máximo dos talentos de Cristiano. Mas essa é também uma missão que se mostra falha, com a Juventus estando 10 pontos atrás da líder Inter com 11 jogos até o fim da temporada.

Isso não quer dizer que o campeonato se encontra praticamente encerrado – muito pelo contrário. Com o Milan ainda a 6 pontos de distância da Inter e a Atalanta em terceiro lugar na tabela, se mostrando um time traiçoeiro contra os clubes mais tradicionais do país, muita emoção ainda está reservada para a liga italiana até o seu fim, em maio.

Salvar