A técnica de deload no treino de musculação é um dos pilares dentro de um treino estruturado. Sendo importante para fisiculturistas e praticantes de academia, ela pode ser preventiva para o desempenho.

Assim, ao lado das semanas de altas cargas, de técnicas de treino e de dieta, o deload se torna uma chave para resultados na academia.

Entretanto, nem todos sabem o seu conceito e quando aplicar de maneira correta. Diante disso, será possível conferir abaixo um guia sobre o deload no treino de musculação.

Como e quando realizar um deload?

Antes de mais nada, para realizar uma matéria correta, falamos com o professor do esporte Douglas Mastroantonio Sita. Com anos de prática, Douglas deu sua opinião sobre este processo.

Deload é uma fase onde visa a manutenção da saúde, tanto articular e muscular quanto fisiológica. É adicionada após um período de uma preparação específica e estruturada. Onde o atleta inicia o treinamento de maneira mais branda e vai elevando o nível para seus objetivos, atingindo assim, o auge da performance.

Ele expôs que é preciso reduzir alguns pontos do treino para fazer um deload correto. “O volume de treino e a intensidade são reduzidos para favorecer a recuperação”, disse o professor.

Ainda, por fim ele disse que esse corte pode favorecer uma maior produção de testosterona e GH.

Saiba qual a importância do deload no treino de musculação

Como já dito, esta fase se torna um dos pilares do treino. Além de ajudar a dar um descanso ao seu corpo, um deload pode garantir outros prós.

Diante disso, Douglas também afirmou sobre o conceito das semanas de diminuição de cargas e volume.

É possível manter a performance sem agredir tanto, com estímulos mecânicos e metabólicos mais elevados. Sendo assim, deload é um período de manutenção, deixando um ambiente favorável tanto pela saúde quanto para continuar a progressão nos treinos.