Saiba quando começou o Giro D’Italia e como funciona a prova de ciclismo! Veja todos os campeões e quem ganha a Camisa Rosa

O Giro D’Italia é uma das três principais e mais tradicionais provas do ciclismo, ao lado do Tour de France e da Volta a Espanha. 

Apesar de serem mais de 100 anos de história, nem todos os fãs de ciclismo sabem bem como funciona a prova. Se esse é seu caso, não se preocupe. Estamos aqui para ajudar.

Vamos contar todos os detalhes da história do Giro D’Italia, quem são os maiores campeões e todos os vencedores. 

Você também conhecerá as regras, as camisas dos líderes e o que os ciclistas precisam fazer para conquistá-las.

Não perca tempo e saiba agora mesmo tudo sobre o Giro D’Italia!

História do Giro D’Italia

Assim como o Tour de France foi criado pelo jornal L’Equipe, o Giro D’Italia partiu de uma iniciativa do jornal La Gazzetta dello Sport.

Para vencer a concorrência com o jornal Corriere della Sera, o jornalista Tullio Morgagni propôs ao diretor de La Gazzetta dello Sport, Eugenio Camillo Costamagna, que fosse criada uma prova de ciclismo nos moldes da Volta da França.

Dessa forma, em 1909, foi disputada a primeira edição do Giro D’Italia. Participaram 127 ciclistas, que percorreram 8 etapas entre Milão e Bolonha. 

O primeiro vencedor da história do Giro D’Italia foi o italiano Luigi Ganna.

Inicialmente, o Giro D’Italia era uma prova disputada por pontos. Foi em 1914, seguindo o que havia sido adotado no Tour de France, que a competição passou a ser vencida pelo ciclista que acumulasse o menor tempo entre todas as etapas.

Desde a primeira edição em 1909, o Giro D’Italia não foi disputado apenas durante os períodos de guerras mundiais.

Em 1931, a prova passou a premiar o líder com a Camisa Rosa, em alusão à cor do jornal La Gazzetta dello Sport.

Saiba, a seguir, quais são as regras do Giro D’Italia e o que os ciclistas devem fazer para conquistar a Camisa Rosa!

Regras e como funciona o Giro D’Italia

Regras e como funciona o Giro D'Italia
Ciclistas do Giro D’Italia disputam 21 provas e percorrem mais de 3.500 km

O Giro D’Italia é disputado por 22 equipes, cada uma com 8 ciclistas, totalizando 176 competidores.

A prova tem mais de 3.500 km de percurso. São 21 etapas, distribuídas entre contrarrelógio, planas e em montanhas.

A organização divide o Giro D’Italia em diferentes níveis de dificuldade, para que possam ser calculadas metas a serem cumpridas pelos ciclistas e diferentes pontuações.

Para vencer o Giro D’Italia, o ciclista deve acumular o menor tempo possível ao longo de toda a prova.

Durante as etapas e também nas linhas de chegada, há bonificações, que permitem aos ciclistas subtrair alguns segundos de seu tempo total.

O ciclista que tiver o menor tempo ao fim das 21 etapas e vencer o Giro D’Italia vestirá a Camisa Rosa.

Porém, essa não é a única camisa dada aos ciclistas ao longo da competição. Saiba, logo abaixo, quais são elas e o que é preciso fazer para conquistá-las!

Camisas do Giro D’Italia

  • Camisa Rosa – Classificação Geral
  • Camisa Branca – Classificação Geral para Jovens Ciclistas
  • Camisa Ciclamino – Classificação por Pontos
  • Camisa Azul – Rei das Montanhas

Assim como acontece no Tour de France e sua tradicional camisa amarela para o líder da competição, o Giro D’Italia também tem as camisas que identificam os melhores ciclistas. Na disputa em pistas italianas, as cores são rosa, branca, azul e ciclamino (nome de uma flor com tons entre rosa e roxo).

O que um ciclista precisa fazer para conseguir essas camisas? A gente explica agora mesmo!

Camisa Rosa

Camisa Rosa do Giro DItalia
Líder geral do Giro D’Italia recebe a tradicional Camisa Rosa

A Camisa Rosa do Giro D’Italia é usada pelo atleta que é o líder da Classificação Geral. Aquele que ganhar o direito de vestí-la ao fim da última etapa será o grande vencedor da competição.

Para ter a Camisa Rosa, é necessário acumular o menor tempo ao longo das 21 etapas. 

É importante lembrar que existe bonificação de tempo na linha de chegada de cada etapa e nas duas metas intermediárias que todas as etapas possuem.

Nas metas intermediárias, as bonificações são:

  • 3 segundos para o 1º colocado
  • 2 segundos para o 2º colocado
  • 1 segundo para o 3º colocado

As grandes bonificações são distribuídas para os ciclistas que cruzam primeiro a linha de chegada:

  • 10 segundos para o 1º colocado
  • 6 segundos para o 2º colocado
  • 4 segundos para o 3º colocado

Como consequência das bonificações distribuídas, é possível que um ciclista seja campeão do Giro D’Italia sem ter ganho nenhuma etapa e sem ter feito necessariamente o menor tempo acumulado ao longo de toda a prova. 

Isso é possível porque as subtrações de tempo graças às bonificações podem oferecer a um ciclista o menor tempo acumulado.

Para vencer o Giro D’Italia, é preciso ser um excelente ciclista, mas também ter uma ótima estratégia e aplicá-la com perfeição. Dessa forma, a regularidade de bons tempos ao longo da prova será recompensada com o título e a Camisa Rosa.

Camisa Branca

Camisa Branca do Giro D'Italia

A Camisa Branca funciona exatamente como a Camisa Rosa, mas ela é disputada pelos ciclistas com 24 anos ou menos. 

Para conseguir a Camisa Branca, é preciso ter o menor tempo acumulado ao longo das etapas.

Camisa Ciclamino

Camisa Ciclamino do Giro D'Italia
Camisa Ciclamino é dada a quem somar mais pontos no Giro D’Italia

A Camisa Ciclamino é dada ao melhor sprintista. Ela é usada pelo ciclista que acumular mais pontos durante a corrida, independentemente do tempo. 

Os pontos são concedidos com base nas posições em que os corredores terminam cada etapa.

As etapas planas distribuem mais pontos que as etapas de montanha. Por isso, são conhecidas como as etapas dos sprintistas.

Numa etapa plana, são distribuídos pontos na linha de chegada do 1º ao 15º colocado. As pontuações para os primeiros são:

  • 50 pontos para o 1º colocado;
  • 35 pontos para o 2º colocado;
  • 25 pontos para o 3º colocado.

Também são distribuídos pontos em metas intermediárias. 

O melhor sprintista do Giro D’Italia não é necessariamente quem mais venceu etapas, mas sim quem acumulou mais pontos em linhas de chegada e metas intermediárias.

Camisa Azul

Camisa Azul do Giro D'Italia
Camisa Azul vai para o Rei das Montanhas do Giro D’Italia

A Camisa Azul é dada ao Rei da Montanha do Giro D’Italia. Para conquistá-la, é preciso somar mais pontas nas etapas de montanha. Quanto mais difícil a subida, mais pontos podem ser obtidos.

Na linha de chegada numa etapa de montanha, são distribuídos pontos do 1º ao 10º colocado. Os melhores levam as seguintes pontuações:

  • 15 pontos para o 1º colocado;
  • 12 pontos para o 2º colocado;
  • 9 pontos para o 3º colocado.

Há quatro diferentes níveis de classificação de dificuldade para as montanhas no Giro D’Italia e são dados pontos a quem passar primeiro pelo topo dessas montanhas da seguinte forma:

  • 35 pontos para o 1º a atingir o topo de uma montanha categoria 1;
  • 3 pontos para o 1º a atingir o topo de uma montanha categoria 4.

No Giro D’Italia, uma montanha é considerada a mais difícil entre todas as da prova: Cima Coppi, que é o ponto mais alto da competição.

O ciclista que passar primeiro pelo topo da Cima Coppi recebe 45 pontos.

Assim como acontece com as demais camisas do Giro D’Italia, o dono da camisa azul não é necessariamente quem mais vezes passou no topo de uma montanha, mas sim aquele que acumulou mais pontos ao passar por todas as montanhas em suas diferentes categorias.

O segredo para vencer o Giro D’Italia não é apenas ter um bom preparo físico, mas também executar uma estratégia bem planejada. 

Não basta vencer etapas, é preciso compreender como cumprir metas e somar bonificações de tempo e boas pontuações.

Quer saber que é o maior campeão da história do Giro D’Italia? Confira a seguir!

Vá além do Ciclismo! Confira também conteúdos de outros esportes:

Maior vencedor da história do Giro D’Italia

Maior vencedor do Giro D'Italia
O belga Eddy Merckx foi o último ciclista a conquistar 5 títulos do Giro D’Italia

Três ciclistas dividem o posto de maior vencedor da história do Giro D’Italia. Os italianos Alfredo Binda e Fausto Coppi e o belga Eddy Merckx foram campeões em 5 edições da prova.

Binda dominou o Giro D’Italia no fim dos anos 1920, com os títulos em 1925, 1927, 1928 e 1929. Ele foi campeão também em 1933.

Fausto Coppi, por sua vez, foi o vencedor em 1940, 1947, 1949, 1952 e 1953, enquanto Eddy Merckx foi campeão em 1968, 1970, 1972, 1973 e 1974.

Entre os campeões por pontos, Francesco Moser e Giuseppe Saronni são os maiores vencedores do Giro D’Italia, com 4 títulos.

Já na disputa pelo título de Rei da Montanha, o maior campeão é Gino Bartali, com 7 conquistas.

Historicamente, os italianos dominam a prova. Foram 69 títulos para ciclistas que correram em casa.

Na lista de países com mais títulos do Giro D’Italia, Bélgica, com 7 conquistas, e França, com 6, fecham o pódio.

Relembre, a seguir, todos os campeões da história do Giro D’Italia!

Todos os vencedores do Giro D’Italia

  • 1909Luigi Ganna (Itália)
  • 1910Carlo Galetti (Itália)
  • 1911Carlo Galetti (Itália)
  • 1912Atala (a edição foi disputada em competição por equipes)
  • 1913 – Carlo Oriani (Itália)
  • 1914Alfonso Calzolari (Itália)
  • 1915-1918 – não houve disputa por causa da Primeira Guerra Mundial
  • 1919Costante Girardengo (Itália)
  • 1920Gaetano Belloni (Itália)
  • 1921Giovanni Brunero (Itália)
  • 1922Giovanni Brunero (Itália)
  • 1923Costante Girardengo (Itália)
  • 1924Giuseppe Enrici (Itália)
  • 1925Alfredo Binda (Itália)
  • 1926Giovanni Brunero (Itália)
  • 1927Alfredo Binda (Itália)
  • 1928Alfredo Binda (Itália)
  • 1929Alfredo Binda (Itália)
  • 1930Luigi Marchisio (Itália)
  • 1931Francesco Camusso (Itália)
  • 1932Antonio Pesenti (Itália)
  • 1933Alfredo Binda (Itália)
  • 1934Learco Guerra (Itália)
  • 1935Vasco Bergamaschi (Itália)
  • 1936Gino Bartali (Itália)
  • 1937Gino Bartali (Itália)
  • 1938Giovanni Valetti (Itália)
  • 1939Giovanni Valetti (Itália)
  • 1940Fausto Coppi (Itália)
  • 1941-1945 – não houve disputa por causa da Segunda Guerra Mundial
  • 1946Gino Bartali (Itália)
  • 1947Fausto Coppi (Itália)
  • 1948Fiorenzo Magni (Itália)
  • 1949Fausto Coppi (Itália)
  • 1950Hugo Koblet (Suíça)
  • 1951Fiorenzo Magni (Itália)
  • 1952Fausto Coppi (Itália)
  • 1953Fausto Coppi (Itália)
  • 1954Carlo Clerici (Suíça)
  • 1955Fiorenzo Magni (Itália)
  • 1956Charly Gaul (Luxemburgo)
  • 1957Gastone Nencini (Itália)
  • 1958Ercole Baldini (Itália)
  • 1959Charly Gaul (Luxemburgo)
  • 1960Jacques Anquetil (França)
  • 1961Arnaldo Pambianco (Itália)
  • 1962Franco Balmamion (Itália)
  • 1963Franco Balmamion (Itália)
  • 1964Jacques Anquetil (França)
  • 1965Vittorio Adorni (Itália)
  • 1966Gianni Motta (Itália)
  • 1967Felice Gimondi (Itália)
  • 1968Eddy Merckx (Bélgica)
  • 1969Felice Gimondi (Itália)
  • 1970Eddy Merckx (Bélgica)
  • 1971Gösta Pettersson (Suécia)
  • 1972Eddy Merckx (Bélgica)
  • 1973Eddy Merckx (Bélgica)
  • 1974Eddy Merckx (Bélgica)
  • 1975Fausto Bertoglio (Itália)
  • 1976Felice Gimondi (Itália)
  • 1977Michel Pollentier (Bélgica)
  • 1978Johan De Muynck (Bélgica)
  • 1979Giuseppe Saronni (Itália)
  • 1980Bernard Hinault (França)
  • 1981Giovanni Battaglin (Itália)
  • 1982Bernard Hinault (França)
  • 1983Giuseppe Saronni (Itália)
  • 1984Francesco Moser (Itália)
  • 1985Bernard Hinault (França)
  • 1986Roberto Visentini (Itália)
  • 1987Stephen Roche (Irlanda)
  • 1988Andrew Hampsten (Estados Unidos)
  • 1989Laurent Fignon (França)
  • 1990Gianni Bugno (Itália)
  • 1991Franco Chioccioli (Itália)
  • 1992Miguel Indurain (Espanha)
  • 1993Miguel Indurain (Espanha)
  • 1994Eugeni Berzin (Rússia)
  • 1995Tony Rominger (Suíça)
  • 1996Pável Tonkov (Rússia)
  • 1997Ivan Gotti (Itália)
  • 1998Marco Pantani (Itália)
  • 1999Ivan Gotti (Itália)
  • 2000Stefano Garzelli (Itália)
  • 2001Gilberto Simoni (Itália)
  • 2002Paolo Savoldelli (Itália)
  • 2003Gilberto Simoni (Itália)
  • 2004Damiano Cunego (Itália)
  • 2005Paolo Savoldelli (Itália)
  • 2006Ivan Basso (Itália)
  • 2007Danilo Di Luca (Itália)
  • 2008Alberto Contador (Espanha)
  • 2009Denis Menchov (Rússia)
  • 2010Ivan Basso (Itália)
  • 2011Michele Scarponi (Itália)
  • 2012Ryder Hesjedal (Canadá)
  • 2013Vincenzo Nibali (Itália)
  • 2014Nairo Quintana (Colômbia)
  • 2015Alberto Contador (Espanha)
  • 2016 –  Vincenzo Nibali (Itália)
  • 2017Tom Dumoulin (Holanda)
  • 2018Chris Froome (Grã-Bretanha)
  • 2019Richard Carapaz (Equador)

A última década ficou marcada pela variedade de nacionalidades dos ciclistas campeões do Giro D’Italia. Em 2014, com o título do colombiano Nairo Quintana, pela primeira vez um atleta sul-americano levou o título.

Na prova de 2019, novamente um sul-americano foi o grande vencedor da Camisa Rosa, que ficou com o equatoriano Richard Caparaz.

Quem você aposta que será o grande vencedor da próxima edição do Giro D’Italia? Enquanto aguardamos pelo novo dono da Camisa Rosa, aproveite para alimentar sua paixão por ciclismo com outros conteúdos:

*Última atualização em 14 de fevereiro de 2020

Comentários

Salvar
11 Compart.
Compartilhar1
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin10