Conheça a história de Valentino Rossi: o início na MotoGP, os títulos, os prêmios, as equipes e as estatísticas do piloto italiano

Chamamos de “Doutor” alguém com um alto conhecimento em determinada área. Quando o assunto é MotoGP, o título é mais do que justo para Valentino Rossi.

“Il Dottore”, como é chamado por seus conterrâneos italianos, conhece o Mundial de Motovelocidade como ninguém. Sobre duas rodas, sentiu na pele os perigos, as emoções, os altos e os baixos. E sobre as duas pernas, esteve em muitos, muitos pódios.

Rossi conquistou nada menos que sete títulos do MotoGP, sendo cinco deles de maneira consecutiva (um deles ainda sob os motores de 500cc). O número sobe para nove se consideradas as conquistas nas categorias 125cc e 250cc.

Se o assunto é cilindradas, o italiano também tem muito saber acumulado. Foi o único a vencer um campeonato mundial com cinco motores diferentes. Haja versatilidade.

É que são mais de vinte anos competindo em alto nível. Neles, o piloto ultrapassou as marcas de 100 vitórias e de 4000 pontos — o primeiro, inclusive, a alcançar tal pontuação.

Os recordes de Valentino Rossi são tão extensos como a sua carreira. São quase três décadas correndo com enorme paixão e aprimorando uma técnica inigualável. E vencendo. Muito.

Biografia de Valentino Rossi

Valentino Rossi é mais um piloto de sucesso com o automobilismo no sangue. Seu pai, Graziano Rossi, foi um motociclista com vitórias em corridas de 250cc que “deixava” o filho viver a rotina das pistas. Como se algo fosse capaz afastar Rossi de sua paixão…

Dos boxes para os cockpits de kart foi uma acelerada. Era realmente nato o talento do jovem piloto e o caminho para a Fórmula 1 começava a se desenhar.

Eis que duas rodas surgem na vida de Valentino e mudam todos os planos. Minirrodas, na verdade. Dominando as minimotos, o italiano empilhou vitórias e angariou a grana necessária para a sua primeira moto de competição e, naturalmente, sua primeira oportunidade.

Foram três anos da sua primeira temporada na Aprilia até o seu primeiro título mundial, com motores 125cc. Na prática, Vale precisou apenas de um ano de adaptação — em 1996, quando estreou no circuito global — antes da conquista de 1997.

O roteiro se repetiu na mudança para a categoria 250cc: ambientação em 1998 e título em 1999.

Os dois anos seguintes foram de um novo motor, o de 500 cilindradas, e de uma nova equipe, a Honda. A história, no entanto e como você deve imaginar, foi a mesma. O italiano ficou com o vice-campeonato em 2000 e o faturou último título da categoria em 2001.

História de Valentino Rossi na MotoGP

Logo após aos 500cc, veio, enfim, a MotoGP. Mas dessa vez Valentino não precisou se adaptar.  Ficou em 1º na primeiríssima corrida, posição que se repetiu na classificação geral ao final do campeonato.

O título da MotoGP de 2002 abriu uma série de quatro conquistas consecutivas de Valentino Rossi. Uma era de glórias e meia década de domínio absoluto do italiano.

Nela, somou nada menos que 40 vitórias no período, além de 58 pódios e, surpreendentemente, “apenas” 26 poles.

Foi nessa época que apareceu o apelido de “Doutor”. Rossi corria com uma paixão que o permitia se arriscar nas curvas mas era também dotado de uma frieza impressionante na hora de buscar as ultrapassagens.

É até uma questão biológica do italiano. Quando monitorados os batimentos cardíacos dos competidores do MotoGP, era ele quem, de longe, tinha o menor ritmo nos momentos decisivos. Talvez esteja aí a capacidade de crescer tanto nas últimas voltas.

Nesse meio tempo também trocou de equipe, assinando com a Yamaha, com quem ganhou os títulos do MotoGP de 2004 e 2005. E foi justamente um piloto da Honda — Nick Hayden, em 2006 —que encerrou sua sequência vitoriosa, e, como os anos mostrariam mais tarde, o seu domínio.

Valentino só foi retomar aos caminhos da vitória em 2008. As dúvidas nos anos seguintes ao fim do domínio foram tantas que o piloto chegou até a fazer testes para a Fórmula 1, na Ferrari.

Mas a temporada daquele mesmo ano acabou como uma de afirmação de um campeão. Foram apenas duas pole positions, mas o piloto ainda assim venceu nove corridas. Terminou a competição com a maior pontuação de sua carreira, somando 373 pontos.

Em compensação, em 2009 teve o menor número de vitórias entre os anos dos quais foi vitorioso. Somou 306 pontos, apenas dois a mais que a pior entre a suas melhores contagens, em 2004. Aquele foi o último MotoGP conquistado por Valentino Rossi até hoje.

O “pesadelo” de Valentino Rossi na Ducati

Depois de uma temporada de lesões, poucas corridas (14) e literalmente um par de vitórias, o Doutor foi buscar novos ares. A Ducati foi escolhida como a nova casa, mas nunca foi um lar.

Em 2011, na estreia na nova equipe, teve o pior desempenho de sua carreira no MotoGP. 0 poles, 0 corridas vencidas e apenas um reles pódio com um terceiro lugar. Terminou em 7º na classificação geral.

O desempenho acirrou o ambiente na Ducati e depois de mais um ano sem vitórias em GPs — e o sexto lugar no campeonato — voltou ao lugar onde foi mais bem-sucedido, a Yamaha.

Vá além do Automobilismo! Confira também:

Nova fase na Yamaha

Buscando se reciclar e se readaptar a uma MotoGP mais automatizada,  Valentino Rossi retomou uma estratégia do passado. Correu em 2013 só “sentindo” o time e os adversários, para dar o bote no ano seguinte, em 2014.

O Doutor esteve em 13 pódios nesse ano, igualando o número do título de 2009. Mas, contra um Marc Márquez em plena ascensão, terminou como vice. A mesma coisa aconteceu em 2015 e em 2016.

Em 2015, aliás, Valentino arrebentou, somando 325 pontos e 15 pódios, o que mesmo assim não foi o bastante para bater o novo rival.

melhores pilotos da motogp valentino rossi
Valentino Rossi ficou em 2º entre 2014 e 2016

O futuro e a fortuna de Valentino Rossi

A reação de Rossi acabou sendo uma espécie de “gás final” no que diz respeito à competição no topo. Em 2017, até esboçou uma reação inacreditável a uma fratura na perna e em 2018 até terminou em 3º na classificação geral, mas, somando os dois anos, venceu apenas um GP.

Um pouco desiludido, Valentino Rossi teve uma temporada de 2019 bastante ruim, por pouco não repetindo o desempenho de 2011.

Hoje, a fase é outra. O piloto parece correr para a categoria, esbanjando seu carisma, trazendo alguns jovens pilotos para debaixo da sua asa e novos espectadores para a motovelocidade.

O próprio compromisso anunciado para 2021 com a SIC Racing Team, uma espécie de equipe satélite da Yamaha, comprova o novo momento de “Il Dotore”, já mais próximo à aposentadoria.

Enquanto isso, o italiano segue demonstrando total amor às pistas — e, porque não, engordando sua milionária conta bancária.

Valentino Rossi voltou aos holofotes de uma maneira diferente em 2020, depois de escapar ileso de um acidente entre Franco Morbidelli e Johann Zarco no GP da Áustria. Ele agradeceu aos céus. Nós também.

Estatísticas de Valentino Rossi

Vitórias de Valentino Rossi

  • Vitórias 125cc: 12
  • Vitórias 250cc: 14
  • Vitórias MotoGP/500cc: 89
  • Total: 115

Poles de Valentino Rossi

  • Poles 125cc: 5
  • Poles 250cc: 5
  • Poles MotoGP/500cc: 55
  • Total: 65

Voltas mais rápidas de Valentino Rossi

  • Voltas Mais Rápidas 125cc: 9
  • Voltas Mais Rápidas 250cc: 11
  • Voltas Mais Rápidas MotoGP/500cc:  76
  • Total: 96

Equipes de Valentino Rossi

  • Aprilia (1996-1999)
  • Honda (2000-2003)
  • Yamaha (2004-2010, 2013-)
  • Ducati (2011-2012)

Títulos de Valentino Rossi

  • Títulos MotoGP/500cc: 7 (2001,2002, 2003, 2004, 2005, 2008 e 2009)
  • Títulos 250cc: 1 (1999)
  • Títulos 150cc: 1 (1997)

Depois de conhecer melhor a história e os títulos de Valentino Rossi, aproveite para ler mais conteúdos sobre Automobilismo:

* Última atualização no dia 18 de agosto de 2020

Comentários

Salvar
Compartilhar
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin