Antes de mais nada, Peter Jeffrey Revlon Revsonou simplesmente Peter Revson, é um ex-piloto de automóveis norte-americano que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da McLaren. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1964, no GP da Bélgica, pela Lotus. Na ocasião, ele terminou não terminou a prova.

O COMEÇO DA CARREIRA

A sua paixão pelas corridas começou enquanto estudava na Universidade de Cornell. Em 1963 decide correr na Europa, onde obtêm bons resultados na Fórmula 3 e Fórmula 2.

Entretanto, quando tenta a sua sorte na Fórmula 1 em 1964, os seus esforços são em vão. Em um Lotus 24 e Lotus 25, não conseguiu pontuar.

No ano seguinte, volta aos Estados Unidos para correr em Esporte-Protótipos, especialmente numa nova categoria: a Can–Am, uma série de corridas disputadas em pistas da América do Norte.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Em 1971, sua carreira ganhou um novo impulso. Seu amigo Teddy Mayer chega à McLaren, para ajudar Denny Hulme a dirigir a equipe, após a morte do fundador, Bruce McLaren.

Nessa altura, corre nas 500 Milhas de Indianápolis, onde faz a “pole-position” e conclui a prova em 2º lugar. No final do ano, participa do Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1971, pela Tyrrell. Além disso, venceu a temporada de 1971 da Can-Am.

Em 1972, corre a tempo inteiro na Fórmula 1, sendo o companheiro do neozelandês Denny Hulme na McLaren. Nessa temporada, Revson é 3º na Grande Prêmio da África do Sul, Grande Prêmio da Grã-Bretanha e Grande Prêmio da Áustria.

Por fim, acaba em 2º no Grande Prêmio do Canadá, depois de ter feito a única pole-position da sua carreira. Como resultado, ficou 5º lugar na classificação geral com 23 pontos.

No ano seguinte, as coisas correm-lhe melhor. Depois de um 2º lugar na África do Sul, Revson ganha o seu primeiro GP em Silverstone, na Grã-Bretanha, aos 34 anos. Repete a façanha em Mosport, no Canadá, numa corrida em que se vê pela primeira vez um “carro e segurança”.

No final da época, repete o 5º lugar final, mas as duas vitórias e os cinco pódios fazem com que cabe a temporada com 38 pontos. Participa também das 500 Milhas de Indianápolis, que não completou.

Em 1974, muda de vida e vai para a Shadow. Apesar de boas performances, não consegue pontuar na Argentina e no Brasil.

CURIOSIDADE SOBRE PETER REVSON

Nasceu numa abastada família judia, fundadora dos Cosméticos Revlon.

Foto destaque: Reprodução/ Motosport Images