Antes de mais nada, Peter Kenneth Gethinou simplesmente Peter Gethin, é um ex-piloto de automóveis britânico que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da BRM. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1970, no GP da Holanda, pela McLaren. Na ocasião, ele não terminou a prova.

O COMEÇO DA CARREIRA

O britânico  apareceu no automobilismo com quase 30 anos na Fórmula 3 Inglesa. No entanto, se destacou mesmo na antiga F-5000, onde foi campeão britânico nos anos de 1969 e 1970.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

No mesmo ano, Peter Gethin foi contratado para correr pela equipe McLaren da Fórmula 1 após a morte de Bruce McLaren. O piloto inglês fez a sua estréia no Grande Prêmio da Holanda de 1970.

Gethin abandonou a prova após uma saída de pista com seu McLaren M14A. Conquistou o primeiro ponto no campeonato na antepenúltima etapa ao terminar em 6º lugar no GP do Canadá.

Em 1971, após o GP da Alemanha, saiu da equipe McLaren, sendo contratado pela BRM, estreando na Áustria, onde terminou em 10º. Na corrida seguinte, venceu o GP da Itália, em Monza.

Em 1972, disputou o Mundial pela BRM, conseguindo apenas um 6º lugar, no GP da Itália, em Monza, com um BRM P-160C.

Após disputar corridas de Fórmula 5000, Gethin retornaria na F1, na antepenúltima etapa de 1973, o GP do Canadá, em Mosport Park, pela BRM, abandonando a corrida com problemas no motor do BRM P-160E.

Em 1974, faltando cinco provas para o término do Mundial, o piloto inglês participou de sua última corrida na categoria, o Grande Prêmio da Grã-Bretanha, em Brands Hatch, com uma Lola T-370 da equipe Embassy Hill. O piloto não completou a primeira volta abandonando com problemas físicos.

CURIOSIDADES DE PETER GETHIN

Por fim, na década de 1980, Peter Gethin foi chefe de equipe da Toleman no ano em que Ayrton Senna estreava. Além disso, mais tarde criou uma equipe na Fórmula 3000 (Peter Gethin Racing) e uma escola de pilotagem em Goodwood.

Foto destaque: Reprodução/ Contos de Fórmula 1