Antes de mais nada, Nigel Ernest James Mansellou simplesmente Nigel Mansell, é um ex-piloto de automóveis britânico que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Williams. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1980, no GP da Áustria, pela Lotus. Na ocasião, ele não terminou a prova.

O COMEÇO DA CARREIRA

A princípio, o britânico começou no automobilismo em 1976, disputando a Fórmula 3 britânica. Nesse sentido, venceu seis corridas das nove disputadas. Em 1977, conquistou 33 das 42 que participou, e se tornou campeão da categoria.

No ano seguinte, ingressou na Fórmula 3. Nesta temporada, teve como resultados expressivos uma pole position e um 2º lugar com um carro não muito competitivo. Ainda assim, para 1979, assinou com a equipe Dave Price Racing. 

Conquistou sua primeira vitória na categoria, em Silverstone, e terminou em 8º na classificação geral do campeonato. Como resultado, Colin Chapman contrata-o para ser piloto de testes da equipe Lotus na F1, em 1980.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Mansell iniciou como piloto de testes da equipe desenvolvendo a versão B do Lotus 81. Fez bons testes, conseguindo voltas muito rápidas, e resultando em sua chance de estrear num GP de Fórmula 1.

Estreou em 1980 no GP da Áustria, largando em 24° e abandonando na volta 40, por problemas de motor. Ainda viria a disputar o GP da Holanda, além de falhar na qualificação no GP da Itália. Terminou a temporada com três GPs disputados e nenhum ponto marcado.

Em 1981 disputa a primeira temporada completa na ao lado do italiano Elio De Angelis. Conquista o primeiro podium da carreira – no GP da Bélgica – e marcou oito pontos terminando na 14ª colocação na classificação geral.

Na temporada de 1982 repete a posição final, desta vez com sete pontos e um 3º lugar no GP do Brasil. Nesse mesmo ano o seu contrato é estendido por Colin Chapman, e logo depois Chapman morre. Quem assume o comando da equipe é Peter Warr, com quem Mansell não tinha o mesmo relacionamento que tinha com Chapman.

Com um carro melhor que de outras temporadas, em 1984, a equipe volta a ser calçado pelo Goodyear, e Mansell conquista a primeira pole position – no GP dos EUA em Dallas. Mesmo conquistando dois pódios e pela primeira vez terminando o campeonato entre os dez primeiros, esse foi o último ano do “Leão” na Lotus. 

O auge da carreira

Em 1985, Mansell assina com a equipe de Frank Williams para ser companheiro de equipe do campeão de 1982, o finlandês Keke Rosberg. 

Foi uma parceria longa e de grande sucesso, talvez não nos primeiros anos, mas sim, em sua segunda passagem. A primeira, por sinal, durou de 1985 até 1988. Nesse meio tempo, conquistou 13 vitórias e cinco 2º lugares.

Em 1989, Nigel assinou com a Ferrari, onde ficou até 1990 e obteve três vitórias, cinco 2º lugares e três vezes na 3ª posição.

Três anos após a sua saída, o britânico estava de volta a Williams. Na sua segunda primeira temporada na equipe, conquistou cinco vitórias e quatro 2º lugares. Uma temporada brilhante que perdeu somente para a seguinte.

Em 1992, Nigel Mansell se tornou campeão mundial de Fórmula 1. Venceu praticamente todas as corridas que disputou, não saindo do pódio em nenhuma delas.

CURIOSIDADES SOBRE NIGEL MANSELL

O piloto ainda acumulou outra passagem pela Williams, pela McLaren e um último suspiro na Jordan;

Após a aposentadoria, foi convidado por Paul Newman para fazer parte da equipe na CART. Mansell aceitou e conseguiu ser campeão da categoria, logo em sua temporada de estreia, surpreendendo a muitos, ganhando o título em cima de Emerson Fittipaldi;

Por fim,  ainda retornou ao automobilismo, em 1998, pelo campeonato de turismo da Inglaterra, fez sete pontos terminando em 18° lugar. Depois dessa categoria, voltou a correr em 2005, quando começou a categoria GP Masters.

Foto destaque: Reprodução/ Terceiro Tempo