Antes de mais nada, Mika Juhani Saloou simplesmente Mika Salo, é um ex-piloto de automóveis finlandês que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Ferrari. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1994, no GP do Japão, pela Lotus. Na ocasião, ele terminou na 7ª colocação.

O COMEÇO DA CARREIRA

Em 1989, Salo competiu no Campeonato Britânico de Fórmula 3, pela Alan Docking Racing. Correu com um Reynard-Toyota, que não era o melhor conjunto do grid. Permaneceu na equipe para 1990 e seu carro passa a ter um competitivo chassis Ralt.

Pilotou contra o seu conterrâneo (e rival) Mika Häkkinen na F3, terminando em 2º lugar. No mesmo ano, Salo foi pego dirigindo bêbado, e posteriormente, a chance de obter uma superlicença da FIA para competir na Fórmula 1 foi impugnada. Então, foi para o Japão, em uma tentativa de relançar a sua carreira.

A EXPERIÊNCIA DE MIKA SALO NA FÓRMULA 1

Lotus (1994)

Após ter seu pedido de superlicença negado por dirigir embriagado em 1990, Mika estreou na Fórmula 1 em 1994 pela equipe Lotus, que estava em uma séria dificuldade financeira.

Em seu primeiro GP, no Japão, terminou em 10º lugar, a uma volta do vencedor, o inglês Damon Hill da Williams e suplantou o companheiro de equipe, o italiano Alessandro Zanardi.

Terminou em 32º lugar entre todos os pilotos, sem nenhum ponto marcado. Na última corrida, na Austrália, abandou a prova com problemas elétricos, encerrando o ciclo da tradicional equipe inglesa, que fechou o ano zerada.

Tyrrell (1995-1997)

Na temporada seguinte, voltou para a F1 defendendo as cores da Tyrrell – outra equipe tradicional em crise. Teve como companheiro de time o japonês Ukyo Katayama.

Nesse período, o finlandês sempre superou o nipônico. Com cinco 5º lugares nos GPs: Itália e Austrália em 1995, Brasil e Mônaco em 1996 e Mônaco em 1997 (última vez que um piloto pontuou para a equipe britânica) foram seus melhores desempenhos na Tyrrell.

Arrows (1998)

Após sair da Tyrrell, Mika Salo foi contratado pela Arrows, que perdia Damon Hill, contratado pela Jordan e mantinha o brasileiro Pedro Paulo Diniz. O finlandês teve como melhor desempenho um 4º  lugar no GP de Mônaco. Ainda assim, terminou a temporada na 14ª colocação.

BAR, Ferrari, Sauber e Toyota (1999-2002)

Encerrado seu contrato com a Arrows, Salo ficou sem emprego para 1999. Sua vaga na equipe inglesa foi ocupada por Tora Takagi (ex-Tyrrell), enquanto Pedro Paulo Diniz, que perdeu a vaga para o espanhol Pedro de la Rosa, foi para a Sauber.

Entretanto, o finlandês não ficaria desempregado por muito tempo. Devido ao acidente que impediu Ricardo Zonta de competir no GP do Brasil, o piloto substituiu o brasileiro em três corridas: (San Marino, Espanha e Mônaco), competindo pela BAR.

Outro acidente deu uma nova oportunidade ao competidor. Dessa vez, Michael Schumacher havia fraturado a perna em Silverstone. O italiano Luca Badoer, titular da Minardi em 1999 e “eterno test-driver” da “Scuderia“, não quis competir no lugar do alemão.

Dessa forma, Salo foi chamado para auxiliar Eddie Irvine na disputa pelo título, chegando a liderar o GP da Alemanha, mas, na metade da corrida, o piloto finlandês teve que entregar a vitória ao norte-irlandês para que este tivesse chance de ganhar o título.

Como resultado, terminou em 2º na corrida, seu primeiro e melhor podium na sua carreira na Fórmula 1. Seu segundo e último podium foi o 3º lugar no GP da Itália. Sua última corrida pela equipe italiana foi no GP da Europa, em Nürburgring. Ainda, competiu pela Sauber e Toyota, porém sem muito sucesso.

CURIOSIDADES DE MIKA SALO

Após encerrar a sua carreira na Fórmula 1 em 2002, Salo competiu na modalidade Champ Car, em 2003, pela PKV Racing. Conquistou um pódio e decidiu encerrar a sua carreira automobilística de vez. Além disso, Mika, nos dias de hoje, é comentarista de Fórmula 1.

Foto destaque: Reprodução/ Globoesporte