Antes de mais nada, Maurice Bienvenu Jean Paul Trintignant ou simplesmente, Maurice Trintignant, é um ex-piloto de automóveis francês que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Ferrari. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1950, no GP de Mônaco, pela Simca-Gordini. Na ocasião, ele terminou não terminou a prova.

O COMEÇO DA CARREIRA

O francês começou a correr em 1938 e venceu o Grand Prix des Frontières de 1939. No entanto, sua carreira foi interrompida pela Segunda Guerra Mundial, durante a qual seu próprio Bugatti foi guardado em um celeiro.

Quando o reconstruiu para um evento em 1945, o Coupé de la Liberation, deixou passar um filtro de combustível entupido, o que o fez desistir da corrida. Descobriu-se que o filtro estava entupido com fezes de rato, o que lhe valeu o apelido nada invejável de Le Petoulet , “o homem de fezes de rato”.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Em 1950, Le Petoulet foi bem-sucedido o suficiente para receber uma oferta de trabalho para a equipe Gordini, na recém-formada série de corridas do Campeonato Mundial de Fórmula 1.

Durante sua longa carreira, Trintignant conquistou duas vitórias, ambas no Grande Prêmio de Mônaco, em 1955 e 1958. Os anos de1954 e 1955 foram os seus melhores, quando terminou em 4º no Campeonato de Pilotos, em ambos.

Ao longo de sua carreira, dirigiu uma grande variedade de carros. Para as mais diversas equipes: tanto de trabalho quanto de corsário. De forma incomum, no Grande Prêmio da Argentina de 1955, dividiu o 2º e o 3º lugares.

Um produto da política da Scuderia Ferrari de passar os carros para seus principais pilotos. Em 1956, pilotou o Bugatti Type 251 no Grande Prêmio da França. Tornou-se o último piloto a representar a famosa marca em uma corrida de Grande Prêmio.

Ainda assim, mesmo em sua última temporada, pilotando seu próprio BRM P57, marcou pontos, conquistando o 5º lugar no Grande Prêmio da Alemanha de 1964 na intimidante Nürburgring.

CURIOSIDADES DE MAURICE TRINTIGNANT

Por fim, após sua aposentadoria das corridas, Maurice Trintignant voltou a uma vida tranquila como viticultor, perto da cidade de Vergèze, na região vinícola de Languedoc-Roussillon;

Além disso, competiu no Grande Prêmio Histórico de Mônaco de 2000, reunido com o Cooper T45 que havia conduzido para a vitória lá em 1958.

Foto destaque: Reprodução/ F1 Templo