Antes de mais nada, François Cevert é um ex-piloto de automóveis francês que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Tyrrell. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1970, no GP dos Países Baixos, pela Tyrrell. Na ocasião, ele não terminou a corrida.

A CARREIRA NA FÓRMULA 1

Albert François Cevert Goldenberg nasceu em uma comunidade na região de Vaudelnay, França. Com 26 anos fez sua estreia na Fórmula 1, no GP dos Países Baixos, em 1970, pela equipe da Tyrrell. No autódromo, o piloto não concluiu a prova, mas viu seu companheiro de time, Jackie Stewart, terminar na 2ª colocação.

Em toda sua carreira, subiu ao pódio em 13 oportunidades, conquistando sua primeira e única vitória no GP dos Estados Unidos, em 1971. No mesmo anoele terminou o campeonato na 3ª colocação.

A SUA ÚLTIMA CORRIDA

Em Watkins Glen, a prova final do campeonato mundial de 1973, tudo estava preparado para a consagração de Jackie Stewart. A Tyrrell tinha três carros, sendo um para o escocês, outro para François Cevert, e um último para o neozelandês Chris Amon.

Nos treinos de sexta-feira, Cevert lutou pela pole-position com o sueco Ronnie Peterson em sua Lotus. Nesse dia, ele e Stewart discutiam qual era a melhor marcha para lidar a zona dos “Ésses“, uma rápida combinação direita – esquerda, na qual o escocês o abordava com a quarta marcha, enquanto o francês usava a terceira, para ganhar potência e assim conseguir segundos preciosos.

Jackie tinha uma boa razão pela qual queria fazer aquela zona com uma rotação mais baixa: ali, o asfalto era mais ondulado e propenso a erros. Mais tarde, isso viria a pesar nas causas de seu acidente fatal.

Nos treinos de sábado de manhã, Peterson e Cevert lutavam entre si para ver quem ficaria com a pole-position. O sueco tinha vantagem durante o ano, pois conseguira oito pole-positions, enquanto o francês não tinha conseguido nenhuma. Então, poucos minutos antes do meio-dia, Cevert fez a sua última tentativa.

O TRÁGICO ACIDENTE

Tudo corria bem até chegar à zona dos “Ésses“, onde o seu estilo de condução fez usar a terceira marcha, quando o carro fez a curva à esquerda. De repente, o carro perdeu o controle, atingiu o guard-rail à direita e ricocheteia, virando para a esquerda, e assim batendo no guard-rail oposto a um ângulo de 90 graus.

O impacto faz voltar o carro de pernas para o ar, arrastando-se por mais de cem metros e degolando François. O francês teve morte imediata.

Pouco tempo depois, Jackie Stewart anunciaria à imprensa em geral que se iria retirar da competição com efeito imediato. O escocês também disse que era uma decisão pensada há muito, e que apenas Ken Tyrrell é quem sabia.
Mas no dia anterior, já tinha contado isso a Cevert e a Peterson, num jantar que tinham tido juntos num restaurante da zona. O resto do mundo só iria saber no domingo, quando o escocês completasse o seu centésimo Grande Prêmio. Nada disso aconteceu.
A equipe Tyrrell se retirou da prova, Stewart não correu seu 100º GP e perde seu escudeiro e grande amigo. A Fórmula 1 perdeu um futuro campeão, um piloto brilhante.

CURIOSIDADES SOBRE FRANÇOIS CEVERT

  • O ex-piloto tinha uma irmã, Jacqueline Beltoise, casada com o também piloto de F1 e compatriota Jean Pierre Beltoise;
  • Além disso, era considerado na época, um dos homens mais bonitos do mundo;
  • Se tudo tivesse corrido bem em seu último treino classificatório, Cevert seria o piloto número um da Tyrrell, em 1974, eventualmente lutaria pelo título com Fittipaldi, Niki Lauda e Clay Regazzoni, e provavelmente poderia ter sido o primeiro francês campeão do mundo.

Foto destaque: Reprodução/ Terceiro Tempo