A Red Bull vive uma hegemonia nesta temporada da F1. Campeã antecipada no Campeonato de Construtores e de Pilotos, com Max Verstappen, a equipe austríaca já trabalha para se manter no topo em 2024.

Por outro lado, as demais escuderias não querem deixar a Red Bull iniciar uma hegemonia, assim como a da Mercedes nos últimos anos. Lewis Hamilton, por sua vez, criou uma polêmica no paddock a dar sua opinião.

E a equipe austríaca foi na contramão do heptacampeão de Fórmula 1 ao discordar da previsão ousada para o futuro da categoria nas próximas temporadas.

Red Bull discorda de Hamilton sobre futuro da F1

Tudo começou quando o britânico viveu um final de semana complicado no Grande Prêmio de São Paulo de F1. Apaixonado pelo Brasil, Hamilton ficou apenas em 7º lugar na sprint e na 8ª posição na corrida de Interlagos.

A animação com o novo assoalho do carro da Mercedes não durou mais de que um mês, já que o próprio piloto admitiu que não espera grandes evoluções para a próxima etapa, alegando que a instabilidade marcou 2023.

Em meio a esse cenário, Lewis acredita que a Red Bull será dominante nas próximas temporadas da Fórmula 1 caso sua equipe não mude da “água para o vinho”:

“Não deveríamos ter a chance de dominar por muitos anos, a batalha pelas primeiras posições deveria ser mais acirrada. Infelizmente, porém, a Red Bull também poderá dominar seriamente nas próximas três temporadas.”, disse em entrevista ao Channel 4

Christian Horner, chefe da equipe austríaca, não concorda com o posicionamento do britânico. Para ele, Lewis Hamilton tem uma “memória seletiva”, tendo em vista o domínio da Mercedes entre 2014 e 2021:

“Eu sinto que ele tem tipo uma memória seletiva. Algumas das vitórias que eles conquistaram naquele período foram simplesmente obscenas. Tivemos uma boa apresentação por alguns anos, mas o único cara que não deveria estar dizendo isso, eu acho, é Lewis”.