Antes de mais nada, Daniel Joseph Ricciardo é um ex-piloto de automóveis alemão que atuou na Fórmula 1 pela equipe da Williams. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1997, no GP da Austrália, pela Jordan. Na ocasião, não terminou a prova.

O COMEÇO DE CARREIRA

O alemão começou a pilotar com três anos de idade na pista de kart de seus pais, em sua cidade natal, Kerpen.

Em 1995, terminou em terceiro no campeonato alemão de Fórmula 3, e venceu o campeonato japonês denominado Formula Nippon (antigamente chamado Fórmula 3000) em 1996, com duas vitórias. Além disso, teve passagem pelo JGTC, guiando para o Team Goh (LARK McLaren) com o modelo F1 GTR.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Ralf estreou na Fórmula 1 em 1997, pela equipe Jordan e terminou no pódio já em sua terceira corrida, no GP da Argentina, após retirar da pista seu próprio companheiro de equipe, o italiano Giancarlo Fisichella. No ano seguinte, permaneceu na Jordan, tendo como parceiro de equipe o inglês Damon Hill e obteve como melhor resultado, o 2º lugar no GP da Bélgica (prova vencida por Hill e que marcou a primeira vitória da equipe e, de cara, com uma dobradinha).

Em 1999, mudou para a equipe Williams e terminou em 6º no campeonato, com o fraco motor Supertec. Porém, ganhou destaque por ter sido o responsável por todos os pontos de sua equipe naquela temporada, já que seu companheiro, o italiano Alessandro Zanardi, também competiu em todas as etapas, todavia, não marcou pontos.

A temporada de 2000, foi considerada por muitos um desapontamento para Ralf. Competindo com o novo e potente motor BMW, esperava-se que ele conseguisse competir para vencer, mas apesar de apenas quatro falhas mecânicas em toda a temporada, ele só foi capaz de subir três vezes ao pódio.

Em 2001, entretanto, conseguiu três vitórias: em San Marino, Canadá e Alemanha. No ano seguinte, venceu o GP da Malásia, e em 2003, o GP da Europa (Fórmula 1), em Nurburgring, e ainda o GP da França, ajudando, assim como o companheiro de equipe Juan Pablo Montoya, que a Williams ficasse em 2º lugar no campeonato de construtores de 2002 e 2003.

Em 2004, Ralf se feriu seriamente num acidente no GP dos Estados Unidos. O acidente resultou em contusões e em duas pequenas fraturas na coluna cervical, e o afastou das pistas por três meses. Durante esse período, foi substituído por Marc Gené e Antônio Pizzonia, retornando as pistas apenas no GP da China.

A SAÍDA DE RALF SCHUMACHER FÓRMULA 1

Em 2005 passou a competir pela Toyota, obtendo uma boa quantidade de pontos (graças ao bom carro construído pela equipe naquela temporada), ajudando a equipe a concluir o certame na quarta colocação, logo atrás da Ferrari. No mesmo ano, voltou a se acidentar em Indianápolis, durante a segunda sessão de treinos livres. O piloto bateu quando estava fazendo uma curva a 300 km/h, na sua volta rápida. Seu carro ficou desgovernado e colidiu contra o muro.

Em outubro de 2007, Schumacher anunciou que estaria deixando Toyota no final da temporada. Naquele ano, teve o segundo maior salário depois de Kimi Räikkönen, da Ferrari.

CURIOSIDADES DE RALF SCHUMACHER

Em 2008, Ralf passou a competir na Deutsche Tourenwagen Masters, categoria de Turismo alemã;

Em 2011, em Hockenhein, primeira etapa do campeonato, conquistou o primeiro pódio na categoria ao chegar em 3º.

Foto destaque: Reprodução / ADAC Motorsport