Antes de mais nada, Didier Pironi é um ex-piloto de automóveis francês que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Ferrari. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1978, no GP da Argentina, pela Tyreell-Ford. Na ocasião, ele terminou na 14ª colocação.

O COMEÇO DE CARREIRA DE DIDIDER PIRONI

Em primeiro lugar, Pironi nasceu em Villecresnes, França. Assim, começou a estudar engenharia e se formou em ciências. Entretanto, ao entrar no negócio de construção da família caiu no esquecimento após sua matrícula na escola de direção Paul Ricard.

A princípio, o francês recebeu um patrocínio do Pilot Elf em 1972, um programa criado para promover jovens talentos do automobilismo francês, que também levou Alain Prost , René Arnouxe Patrick Tambay à Fórmula 1.

O jovem se tornou campeão da Fórmula Renault na França em 1974, ganhou o título da Super Renault em 1976 e venceu a prestigiosa corrida de apoio do Grande Prêmio de Fórmula 3 de Mônaco em 1977.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Após conquistar diversos campeonatos, Pironi fez sua estreia na F1 no GP da Argentina, pela Ken – equipe de Tyrrell, em 15 de janeiro de 1978. No mesmo ano, fazia parte da Renaultes, encarregado de vencer as 24 Horas de Le Mans. Fazendo parceria com Jean-Pierre Jaussau, o segundo carro da equipe, o incomum “teto de bolha“, A442B, ele venceu a corrida com quatro voltas do rival Porsche 936s.

Duas temporadas com a equipe subfinanciada da Tyrrell demonstraram promessa suficiente para Guy Ligier contratar Pironi para sua equipe francesa homônima em 1980 , uma temporada na qual Didier registrou sua primeira vitória, no Grande Prêmio da Bélgica em Zolder. Bem como vários pódios.

O Ligier JS11 / 15 era um carro excelente, mas não conseguiu atingir seu potencial máximo. Uma combinação da incompetência da equipe e do fato de Laffite estar no firme controle político significava que Pironi não venceria o campeonato com Ligier. O seu desempenhou despertou o interesse de Enzo Ferrari.

Em sua carreira na Fórmula 1, Didier Pironi venceu três corridas, alcançou 13 pódios e marcou um total de 101 pontos no campeonato. Ele também garantiu quatro pole position.

CURIOSIDADES DE DIDIDER PIRONI

Por fim, em homenagem a sua carreira, algumas biografias foram escritas:

  • Lettre à Didier – Catherine Goux
  • Didier: sonhos e pesadelos – Lorie Coffey, Jan Moller
  • Didier Pironi: La flèche brisée ( A flecha quebrada ) – Martine Camus
  • Pironi: The Champion Who Never Was – David Sedgwick (e-book publicado em 31 de agosto de 2017, edição em brochura publicada em 1º de janeiro de 2018)

Foto destaque: Reprodução/ Terceiro Tempo