Antes de mais nada, Denis Clive Hulme é um ex-piloto de automóveis neozelandês que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Brabham. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1965, no GP de Mônaco, pela Brabham. Na ocasião, ele terminou na 8ª colocação.

O COMEÇO DE CARREIRA

Hulme nasceu em Motueka, Nova Zelândia. Enquanto crescia na fazenda de sua família em Pongakawa, aprendeu a dirigir um caminhão sentado no colo de seu pai, e aos seis anos já dirigia sozinho. Ele deixou a escola e foi trabalhar em uma garagem. Economizou dinheiro suficiente para comprar um MG TF, entrando prontamente em eventos de escalada. Depois, seu pai trouxe um MGA para ele. Após isso, ele comprou um F2 Cooper-Climax.

Denny e um amigo, George Lawton, começaram a competir na Fórmula Júnior e Fórmula 2, em toda Europa, em um Cooper – BMC e Cooper – Ford, respectivamente. Além disso, Hulme ganhou o Grande Prêmio de Pescara de 1960 pela Fórmula Júnior.  No entanto, o ano de 1960 terminou em desastre, quando Lawton caiu durante uma corrida em Roskilde (Dinamarca), morrendo nos braços de Hulme.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

Em 1964, após várias aparições em eventos fora do campeonato pela Brabham, Hulme finalmente recebeu a ligação que estava esperando, fazendo sua estreia no Campeonato Mundial, em 1965, em Mônaco . Mais tarde naquele ano, ele marcou seus primeiros pontos, pela 4ª posição no assustador circuito de Clermont-Ferrand, na França.

Em 1966, Denny fez a sua primeira temporada completa na F1. Após a partida de Dan Gurney , ele era o número dois na equipe Brabham, atrás do próprio Jack. Terminando em um bom 4º lugar naquele ano (com Jack vencendo o Campeonato de Pilotos e a equipe Brabham no Campeonato de Construtores), os destaques vieram com um 3º lugar em Reims, na França, um 2º atrás em Brands Hatch.

Bem como a volta mais rápida em Zandvoort, antes que problemas de ignição acabassem com sua corrida. Enquanto seu chefe conquistou o título mundial, Hulme subiu ao pódio quatro vezes durante a temporada, terminando em 4º lugar na classificação geral.

A temporada de 1967 foi marcada por conquistas. A começar pela excelente vitória em Mônaco, que infelizmente foi marcada também pela terrível morte de Lorenzo Baldini. Sua segunda vitória foi no Grande Prêmio de 1967, no lendário Nordschleife, de Nürburgring.

Essa vitória comprovou a sua versatilidade em qualquer tipo de pista. Mais seis visitas ao pódio deram a Hulme a vantagem de que precisava. Ele ganhou o campeonato por cinco pontos de Brabham e mais cinco de Jim Clark.

Decerto, em 1968, Denny assinou com a McLaren, de seu colega Bruce McLaren. Assim, pela equipe, colecionou quatro vitórias, três 2ªs colocações e uma 3ª posição. Ainda, competiu nas 500 milhas de Indianápolis nos de 1967, 1968, 1969 e 1971.

CURIOSIDADES DE DENNY HULME

  • 1967 – Esportista do ano da Nova Zelândia;
  • 1967/1970/1974 – Vencedor do Troféu Hawthorn Memoria;
  • 1992 – Nomeado um Oficial da Ordem do Império Britânico , pelos serviços prestados ao automobilismo, em 1992 Queen's Birthday Honors;
  • 1993 – introduzido no Hall da Fama dos Esportes da Nova Zelândia;
  • 1994 – Induzido para a Parede da Fama do Motorsports da Nova Zelândia;
  • 1998 – Indicado para o Corredor da Fama do Motorsports da América; 
  • 2002 – introduzido no International Motorsports Hall of Fame.
  • Por fim, é o único piloto da história da Nova Zelândia a conquistar um título mundial.

Foto destaque: Reprodução/ The Motorhood