Antes de mais nada, David Marshall Coulthard é um ex-piloto de automóveis britânico que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da McLaren. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1994, no GP da Espanha, pela Williams-Renault. Na ocasião, ele não terminou a corrida.

O COMEÇO DE CARREIRA

A princípio, David  começou sua carreira muito jovem. Nesse sentido, com apenas 11 anos, ele já havia vencido vários campeonatos locais de kart, incluindo o Scottish Junior Kart Championship e o Scottish Kart Championship. Além disso, participou de eventos no Reino Unido, incluindo a vitória pelo título no Cumbria Kart Racing Club Championship, em 1985.

Em 1989, Coulthard fez a transição do karting para o automobilismo. O piloto ganhou o campeonato menor da P&O Ferries Formula Ford 1600 Junior. Ele se tornou o primeiro a receber o prêmio de Jovem Piloto do Ano da McLaren / Autosport, que lhe permitiu testar um carro de Fórmula 1 da McLaren.

Em 1990, viajou para a Bélgica para competir na EFDA Nations Cup pela Grã-Bretanha e fez parceria com Nicky Hart, onde terminou em 9º. Durante o ano, foi selecionado pela Vauxhall Motorsport para uma participação única no British Touring Car Championship (BTCC), em Brands Hatch, onde terminou em 13º. Entretanto, ele não voltou à série depois de sofrer uma lesão na perna em uma corrida de Fórmula Vauxhall, em Spa-Francorchamps.

Em 1992, mudou-se para a série Internacional de Fórmula 3000, onde sofreu com a falta de competitividade e terminou em 9º lugar. Em 1993, juntou-se à Pacific Racing, obtendo uma vitória e terminando em 3º na série. Ele entrou nas 24 Horas de Le Mans ao lado de John Nielsen e David Brabham para a equipe TWR Jaguar Racing.

O trio venceu a Classe GT, embora tenham sido posteriormente desqualificados por uma infração técnica. Ele mudou-se para a equipe Vortex em 1994, que recebeu investimento de um investidor privado, permitindo que Coulthard dirigisse para a equipe. Em sua primeira e única corrida pela equipe realizada em Silverstone, terminou em 3º.

 A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

No ano de 1994, Coulthard foi contratado pela equipe da Williams, sucedendo o falecido Ayrton Senna. Como resultado, ele fez a sua estreia na Espanha, qualificando-se na 8ª posição. Em seguida, marcou seus primeiros pontos com um 5º lugar no Canadá.

No entanto, a equipe dispensou o piloto para a corrida na França, permitindo que o campeão de 1992, Nigel Mansell, fizesse uma aparição única devido à pressão do fornecedor de motor Renault.

A mudança prejudicou o relacionamento entre Williams e Coulthard, que voltou para o GP da Inglaterra, terminando em 5º lugar.  Para a Alemanha, a Williams apresentou uma versão revisada de seu carro, o Williams FW16B.

Ele sofreu retiradas consecutivas nas duas corridas seguintes, mas garantiu três pontos consecutivos marcando posições – incluindo um pódio com um segundo lugar em Portugal. Pouco depois, Mansell voltou a ocupar o lugar de Coulthard nas últimas três corridas da temporada. Ele terminou o campeonato em 8º lugar.

Em novembro, David se envolveu em uma disputa contratual. Durante o Grande Prêmio da Austrália, optou por deixar a Williams e assinou um contrato com a McLaren. No entanto, a Williams insistiu que eles tinham o direito de exercer sua opção de mantê-lo e que ele tinha um contrato de três anos com a equipe.

A administração do piloto argumentou que a opção de Williams não era vinculativa. Assim, a disputa foi para o Contract Recognition Board da Fórmula 1, que decidiu a favor da Williams, forçando Coulthard a ficar com a equipe.

AS CONQUISTAS DE COULTHARD

Em 1995, Coulthard competiu novamente com Williams ao lado de Damon Hill. A temporada começou com polêmica quando ele e o piloto da Benetton, Michael Schumacher, foram desclassificados por irregularidades no combustível no 1º round no Brasil, onde Coulthard terminou em 2º  lugar.

Na apelação, os resultados originais de ambos os motoristas foram restabelecidos. As cinco corridas seguintes viram quatro retiradas do piloto, além de um 4º lugar em San Marino. 

Apesar da má forma no início da temporada, David garantiu quatro pódios, com mais duas retiradas consecutivas na Bélgica e na Itália. Para Portugal, a Williams apresentou uma versão revisada de seu carro, o Williams FW17B. Como resultado, conquistou a pole position e liderou a maior parte da corrida para conquistar sua primeira vitória na Fórmula 1.

Além disso, subiu mais dois pódios em Nürburgring e Aida e retirou-se nas duas últimas corridas em Suzuka e Adelaide. No final, terminou a temporada em 3º no Campeonato de Pilotos, ajudando a Williams a garantir o segundo lugar no Campeonato de Construtores.

No ano seguinte, o britânico assinou com a McLaren. Pela equipe, ficou de 1997 até 2004, acumulando 12 vitórias – a última sendo no GP da Austrália. Após esse período, assinou com a Red Bull, onde não colecionou nenhuma conquista e encerrou sua carreira em 2008.

CURIOSIDADES DE DAVID COULTHARD

  • Coulthard é um embaixador da instituição de caridade Wings For Life para lesões na coluna vertebral;
  • Além disso, foi nomeado membro da Ordem do Império Britânico (MBE) nas honras de aniversário de 2010 por serviços prestados ao automobilismo;
  • Por fim, é um embaixador da marca Mercedes-Benz e esteve envolvido com o desenvolvimento do Mercedes-Benz SLS AMG

Foto destaque: Reprodução/ Grande Prêmio