Antes de mais nada, Gianclaudio Giuseppe Regazzoni é um ex-piloto de automóveis suíço que atuou na Fórmula 1 sendo uma das estrelas da equipe da Ferrari. Acima de tudo, sua estreia aconteceu no ano de 1970, no GP da Holanda, pela Ferrari. Na ocasião, ele terminou na 1ª colocação.

O COMEÇO DE CARREIRA

A princípio, Clay nasceu Mendrisio, na Suíça, e começou a correr em automóveis em 1963. Ainda assim, muitas de suas primeiras experiências no automobilismo foram do outro lado da fronteira, na Itália. Isso porque, a Suíça baniu as corridas de automóveis após o terrível acidente nas 24 Horas de Le de 1955 Mans.

Suas primeiras saídas foram em seu próprio Austin-Healey Sprite. Nesse sentido, conquistou dois pódios em apenas suas três primeiras corridas. Este sucesso instantâneo encorajou Regazzoni a mudar para um Mini Cooper em 1964.

Em 1965, Clay ao volante de um carro de rodas abertas pela primeira vez. Ele entrou no campeonato europeu de Fórmula 3, com um Brabham. Esta primeira temporada trouxe um sucesso moderado. A melhoria da forma durante 1966, chamou a atenção do ambicioso construtor italiano Tecno.

 

A equipe ofereceu a Regazzoni o uso de um de seus chassis F3 em 1967, onde suas performances confiáveis ​​e rápidas valeram-lhe a oferta de uma corrida Tecno na Fórmula 2 para o ano seguinte.

A PASSAGEM NA FÓRMULA 2

Na Fórmula 2, encontrou o parceiro ideal na Tecno. Seu estilo agressivo combinava perfeitamente com as ambições de vanguarda.

Alguns observadores acusaram Regazzoni, que estava correndo bem no campo, de deliberadamente correr o Brabham de Lambert para fora da pista enquanto o rodava. Lambert perdeu o controle e bateu em uma ponte.

Ele foi totalmente exonerado no inquérito subsequente, embora os rumores tenham persistido por muitos anos depois. O pai de Lambert iniciou uma ação privada contra Regazzoni, que se arrastou por cinco anos antes de ser finalmente abandonada.

Clay permaneceu na Tecno durante seus três anos na F2 (embora ele tenha dirigido a maior parte da temporada de 1969 pela equipe Ferrari de Fórmula 2) e em 1970 eles conquistaram o Campeonato Europeu juntos.

A EXPERIÊNCIA NA FÓRMULA 1

O suíço estava de volta à Ferrari para o Grande Prêmio da Inglaterra, onde terminou em 4º novamente. Todavia, desta vez manteve o assento da corrida. Quatro pódios se seguiram durante as seis rodadas finais da temporada de 1970, incluindo uma vitória em Monza.

No entanto, a corrida foi ofuscada pela morte do líder do campeonato Rindt, durante a qualificação para a corrida. A primeira pole position, na rodada final no México , culminou em uma primeira temporada de enorme sucesso na fórmula principal. Ele terminou em 3º no Campeonato de Pilotos com 33 pontos, 12 pontos atrás do campeão mundial póstumo Rindt.

Antes do início das etapas europeias do Campeonato Mundial de Fórmula 1, ele venceu a prestigiosa Race of Champions em Brands Hatch, batendo Jackie Stewart. Apesar desta promessa inicial, a Ferrari 312 B e B2 provou ser inferior à combinação StewartTyrrell 003.

Clay Regazzoni conseguiu apenas três pódios durante a temporada, bem como uma pole no Grande Prêmio da Inglaterra. O suíço terminou em 7º no Campeonato de Pilotos daquele ano, 49 pontos atrás de Jackie Stewart.

Além da Ferrari, Clay Regazzoni acumulou passagens pela BRM, Ensign, Sombra e encerrou sua carreira na Williams.

CURIOSIDADES DE CLAY REGAZZONI

  • Em 1996 tornou-se comentarista na TV Italiana;
  • Por fim, tornou-se conhecido por sua atuação no sentido de ajudar pessoas com deficiência a terem oportunidades iguais na vida.

Foto destaque: Reprodução/ Terceiro Tempo