A marcha atlética é uma modalidade caracterizada por uma técnica rigorosa que exige dos atletas contato contínuo com o solo, o que dificulta ainda mais as provas. 

Diferente da corrida, onde ambos os pés podem estar no ar simultaneamente, na marcha atlética uma das regras principais é que um pé deve estar sempre em contato com o chão.

Entrando no mundo da marcha atlética nas Olimpíadas, vamos abordar todos os detalhes sobre a história, as regras e os pódios da modalidade ao longo do megaevento.

História da marcha atlética nas Olimpíadas

Marcha Atlética nas Olimpíadas: história e todos os pódios
Marcha Atlética nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 – Icon Sport

A marcha atlética fez sua estreia olímpica nos Jogos de Londres em 1908, onde a distância era de 3500 metros. Contudo, a modalidade só se tornou oficial nos Jogos Olímpicos de 1912, realizados em Estocolmo, com uma distância inicial de 10 km.

A prova da marcha atlética masculina permaneceu em 10 km até as Olimpíadas de Melbourne em 1956, quando foi aumentada para 20 km. Em 1960, nos Jogos de Roma, a distância olímpica feminina foi fixada em 10 km, mas só em 1999 o percurso foi ampliado para 20 km.

Existem atualmente duas distâncias da marcha atlética nas Olimpíadas: 20 km e 50 km para homens, enquanto as mulheres competem apenas na distância de 20 km. Além disso, é válido ressaltar que a prova de revezamento misto foi incluída no panorama olímpico, estreando em Paris 2024.

Dentro das discussões sobre desafios na marcha atlética, a modalidade tem sido alvo de polêmicas devido às regras rígidas que os atletas devem obedecer para evitar punições devido ao estilo da caminhada.

Regras da marca atlética nas Olimpíadas

Inicialmente, a marcha atlética pode ser confundida com uma corrida. No entanto, as regras determinam que os atletas não podem tirar os dois pés do chão ao mesmo tempo. Ou seja, o atleta deve estar sempre em contato com o solo.

Os atletas são monitorados por juízes ao longo da prova para garantir o cumprimento das regras. Três avisos de infração por qualquer um dos árbitros, em qualquer ponto do percurso, resultam na desclassificação do atleta.

Você ama outros esportes além do atletismo? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Medalhistas da marca atlética nas Olimpíadas

Marcha Atlética nas Olimpíadas: história e todos os pódios
Massimo Stano conquistou a medalha de ouro em Tóquio 2020 – Icon Sport

Pódios do masculino

20 km marcha atlética

Olimpíadas Ouro Prata Bronze
Londres 1908 George Larner
(GBR)
Ernest Webb
(GBR)
Edward Spencer
(GBR)
Estocolmo 1912 George Goulding
(CAN)
Ernest Webb
(GBR)
Fernando Altimani
(ITA)
Antuérpia 1920 Ugo Frigerio
(ITA)
Joseph Pearman Estados (USA) Charles Gunn
(GBR)
Paris 1924 Ugo Frigerio
(ITA)
Gordon Goodwin
(GBR)
Cecil McMaster
(RSA)
Londres 1948 John Mikaelsson (SWE) Ingemar Johansson (SWE) Fritz Schwab
(SUI)
Helsinque 1952 John Mikaelsson (SWE) Fritz Schwab
(SUI)
Bruno Junk
(URS)
Melbourne 1956 Leonid Spirin
(URS)
Antanas Mikėnas
(URS)
Bruno Junk
(URS)
Roma 1960 Volodymyr Holubnychy (URS) Noel Freeman
(AUS)
Stanley Vickers
(GBR)
Tóquio 1964 Kenneth Matthews
(GBR)
Dieter Lindner
(EUA)
Volodymyr Holubnychy (URS)
Cidade do México 1968 Volodymyr Holubnychy (URS) José Pedraza
(MEX)
Nikolay Smaga
(URS)
Munique 1972 Peter Frenkel
(GDR)
Volodymyr Holubnychy (URS) Hans-Georg Reimann
(GDR)
Montreal 1976 Daniel Bautista
(MEX)
Hans-Georg Reimann
(GDR)
Peter Frenkel
(GDR)
Moscou 1980 Maurizio Damilano (ITA) Piotr Pochinchuk
(URS)
Roland Wieser
(GDR)
Los Angeles 1984 Ernesto Canto (MEX) Raúl González (MEX) Maurizio Damilano (ITA)
Seul 1988 Jozef Pribilinec
(TCH)
Ronald Weigel
(GDR)
Maurizio Damilano (ITA)
Barcelona 1992 Daniel Plaza
(ESP)
Guillaume LeBlanc (CAN) Giovanni De Benedictis (ITA)
Atlanta 1996 Jefferson Pérez (ECU) Ilya Markov
(RUS)
Bernardo Segura
(MEX)
Sydney 2000 Robert Korzeniowski (POL) Noé Hernández
(MEX)
Vladimir Andreyev
(RUS)
Atenas 2004 Ivano Brugnetti (ITA) Francisco Javier Fernández (ESP) Nathan Deakes
(AUS)
Pequim 2008 Valeriy Borchin
(RUS)
Jefferson Pérez (ECU) Jared Tallent
(AUS)
Londres 2012 Chen Ding (CHN) Erick Barrondo (GUA) Wang Zhen (CHN)
Rio 2016 Wang Zhen (CHN) Cai Zelin (CHN) Dane Bird-Smith (AUS)
Tóquio 2020 Massimo Stano (ITA) Koki Ikeda (JPN) Toshikazu Yamanishi (JPN)

50 km marcha atlética

Olimpíadas Ouro Prata Bronze
Los Angeles 1932 Thomas Green
(GBR)
Jānis Daliņš
(LAT)
Ugo Frigerio
(ITA)
Berlim 1936 Harold Whitlock
(GBR)
Arthur Tell Schwab
(SUI)
Adalberts Bubenko
(LAT)
Londres 1948 John Ljunggren
(SWE)
Gaston Godel
(SUI)
Tebbs Lloyd Johnson
(GBR)
Helsinque 1952 Giuseppe Dordoni
(ITA)
Josef Doležal
(TCH)
Antal Róka
(HUN)
Melbourne 1956 Norman Read
(NZL)
Yevgeni Maskinskov
(URS)
John Ljunggren
(SWE)
Roma 1960 Donald Thompson
(GBR)
John Ljunggren
(SWE)
Abdon Pamich
(ITA)
Tóquio 1964 Abdon Pamich
(ITA)
Paul Nihill
(GBR)
Ingvar Pettersson
(SWE)
Cidade do México 1968 Christoph Höhne
(GDR)
Antal Kiss (HUN) Larry Young
(USA)
Munique 1972 Bernd Kannenberg (FRG) Veniamin Soldatenko
(URS)
Larry Young
(USA)
Moscou 1980 Hartwig Gauder (GDR) Jorge Llopart (ESP) Yevgeniy Ivchenko
(URS)
Los Angeles 1984 Raúl González (MEX) Bo Gustafsson (SWE) Sandro Bellucci
(ITA)
Seul 1988 Viacheslav Ivanenko
(URS)
Ronald Weigel
(GDR)
Hartwig Gauder
(GDR)
Barcelona 1992 Andrey Perlov
(EUN)
Carlos Mercenario
(MEX)
Ronald Weigel
(GER)
Atlanta 1996 Robert Korzeniowski (POL) Mikhail Shchennikov
(RUS)
Valentí Massana
(ESP)
Sydney 2000 Robert Korzeniowski (POL) Aigars Fadejevs (LAT) Joel Sánchez Guerrero (MEX)
Atenas 2004 Robert Korzeniowski (POL) Denis Nizhegorodov
(RUS)
Aleksey Voyevodin
(RUS)
Pequim 2008 Alex Schwazer
(ITA)
Jared Tallent
(AUS)
Denis Nizhegorodov
(RUS)
Londres 2012 Jared Tallent
(AUS)
Si Tianfeng
(CHN)
Robert Heffernan (IRL)
Rio 2016 Matej Tóth (SVK) Jared Tallent
(AUS)
Hirooki Arai (JPN)
Tóquio 2020 Dawid Tomala (POL) Jonathan Hilbert (GER) Evan Dunfee (CAN)

Pódios do feminino

20 km marcha atlética

Olimpíadas Ouro Prata Bronze
Sydney 2000 Wang Liping
(CHN)
Kjersti Plätzer
(NOR)
María Vasco
(ESP)
Atenas 2004 Athanasia Tsoumeleka
(GRE)
Olimpiada Ivanova
(RUS)
Jane Saville
(AUS)
Pequim 2008 Olga Kaniskina
(RUS)
Kjersti Tysse Plätzer
(NOR)
Elisa Rigaudo
(ITA)
Londres 2012 Elena Lashmanova
(RUS)
Qieyang Shenjie
(CHN)
Liu Hong
(CHN)
Rio 2016 Liu Hong
(CHN)
María Guadalupe González (MEX) Lü Xiuzhi
(CHN)
Tóquio 2020 Antonella Palmisano
(ITA)
Sandra Arenas
(COL)
Liu Hong
(CHN)

Quadro de medalhas geral da marcha atlética nas Olimpíadas

País Ouro Prata Bronze Total
Itália 9 8 17
Grã-Bretanha 5 3 4 11
Polônia 5 5
União Soviética 4 5 5 14
China 4 3 4 11
Alemanha Ocidental 3 3 4 10
Suécia 3 3 2 8
México 3 5 2 10
Rússia 3 4 3 10
Austrália 1 2 4 7
Espanha 1 2 2 5
Canadá 1 1 1 3
Checoslováquia 1 1 2
Equador 1 1 2
Grécia 1 1
Alemanha Ocidental 1 1
 Nova Zelândia 1 1
Equipe Unificada 1 1
Eslováquia 1 1
Suíça 3 1
Noruega 2 2
Letônia 2 2
Japão 1 2 3
Colômbia 1 1
Equipe Alemã Unida 1 1
Guatemala 1 1
Hungria 1 1
África do Sul 1 1
Irlanda 1 1

Brasileiros na marcha atlética nas Olimpíadas

Marcha Atlética nas Olimpíadas: história e todos os pódios
Viviane Lyra irá representar o Brasil nas Olimpíadas de Paris – Divulgação: Wagner Carmo/Cbat

Ainda buscando a primeira medalha olímpica, o Brasil chega preparado para a marcha atlética nas Olimpíadas de Paris 2024. Embora a modalidade não tenha uma grande popularidade no país, nos últimos anos, alguns atletas brasileiros ganharam destaque no esporte.

Após brilharem no Mundial de Marcha Atlética, Viviane Lyra e Caio Bonfim garantiram a vaga para os Jogos Olímpicos. Inclusive, a dupla irá participar da estreia do revezamento misto na modalidade.

Erica Sena, uma das principais atletas da marcha atlética brasileira, também se classificou para as Olimpíadas de Paris. Ela irá competir na prova individual dos 20 km da modalidade, buscando a tão sonhada medalha olímpica.

Agora que sabe tudo sobre o a marcha atlética nas Olimpíadas, veja mais sobre os Jogos Olímpicos: