José Telles da Conceição, nascido no Rio de Janeiro em 23 de maio de 1931 e falecido em 18 de outubro de 1974, é uma das figuras mais emblemáticas da história do atletismo brasileiro.

Conhecido por sua versatilidade e talento em diversas modalidades, Telles conquistou a primeira medalha olímpica do Brasil no atletismo, um feito que permanece como um marco na história do esporte nacional.

José Telles da Conceição é lembrado não apenas como um atleta de destaque, mas também como um símbolo da superação e da dedicação ao esporte.

Sua contribuição ao atletismo brasileiro é incomensurável, e sua história continua a inspirar atletas e fãs do esporte em todo o Brasil.

Telles não só abriu caminho para futuras gerações de atletas brasileiros, mas também deixou um legado de determinação, talento e amor pelo esporte. Seu nome e suas conquistas permanecem vivos na memória e na história do atletismo nacional.

Início da carreira e formação

José Telles da Conceição cresceu no bairro de Olaria, no Rio de Janeiro. Apesar de seu sonho de se tornar engenheiro, sua vida tomou um rumo diferente quando começou a se destacar no atletismo.

Aos 15 anos, em 1946, Telles iniciou sua carreira no Vasco da Gama, onde rapidamente se destacou tanto no salto em altura quanto nas provas de pista.

Sua versatilidade logo se manifestou, fazendo dele um atleta completo, capaz de competir em diversas modalidades.

Em 1950, Telles transferiu-se para o Flamengo, onde ganhou o apelido de “homem-equipe” devido à sua ampla gama de especialidades atléticas, incluindo 100m, 200m, 110m com barreiras, salto em distância, salto triplo, e salto em altura.

Conquistas de José Telles da Conceição nos Jogos Olímpicos

Telles fez história nos Jogos Olímpicos de Helsinque em 1952, onde conquistou a medalha de bronze no salto em altura, saltando 1,98m na primeira tentativa.

Esse feito não só marcou sua carreira como também estabeleceu um novo recorde sul-americano. Sua performance na final foi crucial, superando o sueco Gosta Svenson, que igualou a marca, mas perdeu na terceira tentativa.

O ouro foi para o americano Walt Davis, com 2,04m, e a prata para Ken Wiesner, também dos Estados Unidos, com 2,01m.

Com apenas 21 anos, José Telles tornou-se o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha olímpica no atletismo, um feito que, no entanto, ficou ofuscado pelo ouro de Adhemar Ferreira da Silva no salto triplo.

Recordes e reconhecimento

José Telles da Conceição

 

Em 1954, José Telles da Conceição atingiu a marca de 2 metros no salto em altura, um recorde nacional que perduraria por 19 anos, até ser superado por Irajá Chedid Cecy.

Esse ano também foi marcado pela premiação com o Troféu Helms, considerado o mais importante prêmio esportivo da América do Sul.

Além do salto em altura, Telles também brilhou nos Jogos Pan-Americanos de 1955 na Cidade do México, onde conquistou medalhas de bronze tanto no salto em altura quanto nos 200 metros.

Em 1956, participou das Olimpíadas de Melbourne, finalizando em 6º lugar nos 200 metros rasos.

Versatilidade e legado

A versatilidade de Telles não se limitava ao atletismo. Ele também praticou basquete e futebol, demonstrando seu vasto leque de habilidades atléticas.

Em 1960, participou das Olimpíadas de Roma, nos 200 metros rasos, e continuou a estabelecer recordes, somando um total de 21 marcas em cinco diferentes provas.

Após encerrar sua carreira atlética em 1966, Telles trabalhou como consultor da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), a precursora da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Fim trágico e homenagens a José Telles da Conceição

O destino de José Telles da Conceição, entretanto, foi trágico. Em 18 de outubro de 1974, ele foi assassinado a tiros dentro de seu carro em uma praia do Rio de Janeiro.

Sua morte prematura e violenta chocou o país e marcou um fim trágico para o primeiro medalhista olímpico brasileiro no atletismo.

Em sua homenagem, a CBAt instituiu a Medalha José Telles da Conceição, concedida a atletas que se destacam em competições mundiais. A primeira medalha foi entregue à viúva de Telles, Dona Cely, reforçando seu legado eterno no esporte brasileiro.