0Sendo frequentemente vista nos Jogos Olímpicos, a luta greco-romana possui uma série de regras e especialidades definidas previamente que precisam ser seguidas à risca pelos campeões.

Antes de mais nada, vale dizer que temos um texto completo falando tudo sobre a modalidade, desde sua história até os principais atletas. Clique aqui para conferir na íntegra.

De fato, o principal objetivo da luta greco-romana é imobilizar o adversário utilizando apenas os membros superiores. Assim, já fica claro a primeira e mais importante regra da modalidade: não se pode utilizar membros inferiores na luta greco-romana.

Dividida em dois tempos de três minutos, a luta dura menos de 10 minutos caso alguém consiga realizar o golpe final. Entretanto, caso ninguém imobilize será realizada a contagem de pontos, vencendo o atleta com maior número.

Neste caso, os pontos são concedidos por cada golpe. Por exemplo, girar o adversário e jogá-lo no chão é um golpe de dois pontos. Outro fator importante das regras da luta greco-romana sobre esse aspecto é que caso o atleta abra oito pontos de diferença, ele será declarado vencedor automaticamente.

Veja também: conheça os 81 termos do fisiculturismo que são essenciais para quem quer conhecer mais sobre o esporte e as categorias que são disputadas nele!

Regras da luta greco-romana

Como já dito sobre as regras da luta greco-romana, qualquer golpe que envolve as pernas, seja para atacar ou para derrubar o adversário, será invalidado. Nesse sentido, também não são permitidos:

  • Joelhadas;
  • Cotoveladas;
  • Puxões de cabelo;
  • Enforcamentos.

Ainda, vale pontuar sobre o tatame onde a luta será realizada. Sobre isso, as regras da luta greco-romana especificam que ele é dividido pelas cores azul e laranja. No caso, os gressistas, como os lutadores desta arte são chamados, devem lutar apenas na azul, a laranja é considerada uma zona pacífica. Caso a luta acabe avançando para a laranja, o juiz irá interferir.

Vá além do mundo do fisiculturismo! Confira também nossos outros conteúdos: